Anuncios

A carga viral é un factor crítico na transmisión heterosexual do VIH

Condoms isolated
Condoms isolated on white background

Bem, eu diria a voc~e que a carga viral indetectável é intransmissível. Mas diria também que eu não me valeria disso para não usar preservativos!

Pois, conforme este artigo demonstra, é possível encontrar a presença do HIV no sémem de uma pessoa com carga viral indetectável.

Quem ama, cuida. E se voc~e não ama, pelo menos gosta.

Pois se tem uma coisa que eu não faria, seria esta, a de ir para a cama com alguém que eu não gosto!

E veja, por outro lado, não se passa HIV nem para um inimigo e, tanto quanto eu posso ver, ninguém…

Ninguém mesmo, vai para a cama com um inimigo!

O estudo foi feito em Uganda.

Lá, não há tratamento dispoível. Terminado o estudo, como ficaram as pessoas que acabaram, de uma maneira ou outra, contaminados?

A carga viral é un factor crítico na transmisión heterosexual do VIH

Keith Alcorn, Keith Alcorn

Publicado en: 05 marzo 2001

Uma observação minha. Você pode pensar:

- "O texto é antigo".

Mas não é bem assim! ele fala de um primeiro grande estudo para aquilo que se tem, como cientificamente comprovado, que indetectável é igual a Intransmissível.

OI = I, en portugués. Ou U = U en inglés. Teño un deber ético e moral de publicar e mostrar os feitos. Pero tamén teño o dereito de expresar a miña opinión e, vexa:

Se eu estivesse, nos dias de hoje, sozinho, sem uma pessoa que eu amasse a meu lado e, como diziam algumas, se eu estivesse franqueado e rebocável, nem se Thor e Odin me dissessem que eu posso me valer de I = I, ou U = U, bem, eu não usaria este “recurso”.

É a miña posición persoal e, como me gusta dicir,

A carga viral é unha garantía! Pero estou de moda vella

Este é Meu Blog. “Period”. O texto abaixo falo do estudo em Uganda e desde o começo há pelo menos três pontos onde Helsinque foi desrespeitado e o valor da vida humana, em especial a africana, é usada como carne de canhão (CATSO).

Um estudo com 415 casais em Uganda confirmou que a carga viral é o fator importante para determinar a transmissão do HIV

. Mas não está claro como essas descobertas podem ser traduzidas em um cenário ocidental.

Pois neste outro cenário as pessoas estão usando drogas antirretrovirais, alertam especialistas!

Como se realizou o estudo

415 casais nos quais um dos parceiros era soropositivo foram identificados no distrito de Rakai em Uganda. E, eu não sei dizer, neste caso, se isso foi bom! Os casais foram identificados por testes confidenciais de HIV.

E ai? Reclamar do que?

Reclamar para quem?

É, e tem isso, todos os casais foi oferecido aconselhamento sobre o uso de preservativos e a oportunidade de saber o seu sorológico em relação ao HIV no início do estudo.

E sim, eles tiveram acesso a preservativos gratuitos durante o estudo.

Eu tenho de destacar: Durante o Estudo! Pow!

As pessoas diagnosticadas como soropositivas foram deixadas a decidirem-se a informar ou não informar a seus parceiros, unha decisión criticada nun editorial acompañante non New England Journal of Medicine.

O tratamento das infeccións de transmisión sexual foi ofrecido a intervalos regulares como parte doutro estudo para a metade dos participantes. Pedíuselle á outra metade que buscase un tratamento gratuíto se tiña algún síntoma. O estado dos anticorpos contra o VIH e a exposición a infeccións de transmisión sexual probáronse cada 10 meses.

A carga viral pre-transmisión determinouse medindo a carga viral do compañeiro VIH-positivo no check-up antes da seroconversión do seu compañeiro. Para estimar o risco relativo, este resultado da carga viral combinouse con outro individuo de idade e sexo similar que non tiña seroconversión.

Como se explican os resultados

Cada ano o seguimento dun individuo neste estudo conta como un ano persoal. Neste estudo, as parellas de 415 foron matriculadas e seguidas durante unha media de pouco menos de dous anos. Isto significa que o estudo rastrexou a xente por aproximadamente 800 persoas-ano.

Principais conclusións da enquisa sobre a transmisión de VIH e a carga viral
  • 22% de todos os socios foron seroconvertidos durante o período de seguimento.
  • Os homes tiñan a mesma probabilidade de estar infectados que as mulleres en calquera nivel de carga viral.
  • A circuncisión parecía ser protectora: ningunha das parellas circuncidadas de mulleres VIH-positivas estaba infectada, mentres que 40 de homes incircuncisos estaban infectados.
  • As infeccións de transmisión sexual sintomáticas non afectaron á probabilidade de que un individuo tivese o VIH, pero o historial de descarga genital no compañeiro VIH-positivo asociouse cun aumento do risco de infección polo VIH (p <0,05).
  • Carga viral por riba das copias 50.000 en VIH positivo. O compañeiro estaba máis asociado ao risco de transmisión a unha taxa de infeccións 23 por 100 persoa-ano.
  • O 6% de toda a transmisión produciuse en parellas nas que o compañeiro VIH-positivo tiña unha carga viral entre as copias 400 e 3.499, indicando que a transmisión pode ter lugar incluso de individuos que se consideran cun risco moi baixo de progresión da enfermidade. Isto tradúcese en casos 2,2 por 100 persoas / ano, un risco dez veces inferior ao observado nas parellas nas que o compañeiro VIH-positivo ten unha carga viral maior que as copias 50.000.
  • Non houbo infeccións nas parellas nas que o compañeiro VIH-positivo tiña carga viral por baixo das copias 1500.
Carne de Canhão?

Segue despois do artigo que se chama a continuación

Carga viral indetectável é cura? NON

A Dr. Marcia Angell, editora de New England Journal of Medicine, afirmou em um editorial que “o estudo descobriu que o risco de transmissão heterossexual está correlacionado com a carga viral.

“Mas como essa informação será usada em Uganda?”

Justifica-se fazer o estudo em Uganda, com a falta de disponibilidade de tratamento antirretroviral a relevância dos resultados lá.”

Nun segundo editorial, o Dr. Myron Cohen da Universidade de Carolina do Norte sinalou que os resultados non necesariamente admiten que a redución da carga viral co tratamento antirretroviral reduciría as taxas de transmisión do VIH:

“O HIV-1 ainda pode ser cultivado a partir das secreções genitais de alguns pacientes que estão recebendo terapia antirretroviral e que têm níveis indetectáveis ​​de RNA do HIV-1 no sangue”.

Será este o grande erro indetectável?

Bem, esta é uma descoberta que significa que não se pode tranquilizar os pacientes dizendo que eles não são contagiosos.

Na verdade, se o uso de tal terapia aumentou a probabilidade de contrair HIV-1, os pacientes infectados praticavam sexo inseguro na crença equivocada de que não podiam transmitir o vírus! isso poderia compensar o benefício da supressão viral “, escreveu ele.

Embora eu tenha perdido o link direto, este txto foi traduzido por mim de um artigo no AIDSMAP

Referencia

Quinn CT et al. Carga viral e transmisión heterosexual do virus da inmunodeficiencia humana tipo 1.Xornal de Medicina de Nova Inglaterra 342 (12): 921-929, 2000. Responsabilidades de

Angell M. Investigadores de individuos humanos nos países en desenvolvemento. NEJM 342: 13

Cohen M. Prevención da transmisión sexual do VIH - novas ideas da África subsahariana. NEJM 342: 13

Que é Carga Viral? Cal é a carga viral? Pra que serven as probas de Carga Viral?

Anuncios

Publicacións relacionadas

Comentar e socializar. A vida é mellor cos amigos.

Este sitio usa Akismet para reducir o spam. Aprende a procesar os teus datos de comentarios.

Soropositivo.Org, Wordpress.com e Automattic fan todo o que esteamos ao noso alcance respecto á súa privacidade. Podes aprender máis sobre esta política neste enlace Acepto a política de privacidade de Soropositivo.Org Ler todo na política de privacidade